Arquivo da categoria: Sem-categoria

Simplicidade de site

Conheci um site, muito bom chamado Sagrada.in que é uma bíblia online. Está certo existem muitas bíblias onlines por ai. Mas o que mais me deixou surpreso é a simplicidade desse site e sua leveza.

Basicamente não tem imagens. Basicamente é só texto. Simples e direto.

Bom para quem é cristão ou quiser ler a bíblia. Segue a dica.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Manchete do Futuro: “Facebook foi comprada….”

Essa pode ser a manchete que logo ouviremos por aí, e a Microsoft poderia ser a mais indicada. 

Por que digo isso? Simples a Microsoft quase comprou o Yahoo há alguns anos com “Oferta hostil pelas ações do Yahoo“, numa época conturbada da empresa em que a ação valia cerca de 30 dólares e hoje continua conturbada e a açãs vale nem 15 dólares. A diferença do Yahoo! há 4 anos para o Yahoo! de hoje, relevância, antigamente o Yahoo! era mais relevante no mercado a té mesmo referência, hoje luta para ter o jantar do mês seguinte.

O Facebook com o seu fracasso no IPO sendo avaliado com cerca de !00 Bilhões de dólares e quase 4 meses após, vale apenas 38 Bilhões de dólares, atingindo um novo patamar mínimo na nasdaq. com desvalorização de mais 60% do valor inicial. Com isso até o Mark Zuckerberg está sendo questionado como o presidente executivo da empresa.

Para o Facebook ser uma referência para investimento, existem duas saídas, troca de CEO ou alguma empresa compra o Facebook, onde possui cerca de 900 milhões de usuários atualmente e com o faturamento crescendo cada vez mais.

E como o Sir Mark Zuckerberg possui mais de 50% das ações do Facebook, vai ser difícil dele sair por enquanto, sendo assim fica mais fácil dos investidores aceitar a ideia de uma venda em massa de suas ações antes mesmo que desvalorizem mais. Para quem vender? Microsoft seria a resposta mais indicada, pois eles procuram à anos estar a frente do Google na busca, mas como seu buscador ainda não está na boca do povo, é mais fácil eles procurarem estar à frente no meio social. Outra opção boa seria o Yahoo! procurar ter uma maior participação com o Facebook, ou mesmo uma parceria, onde poderiam trocar experiências e até mesmo, desenvolverem um método mais eficaz para o engajamento dos atuais usuários, algo que o Yahoo! precisa urgente.

O jeito é aguarda o que o futuro aguarda e como os investidores se comportarão com relação ao Facebook (FB).

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Um encurtador simples

Ultimamente eu venho procurando conhecer mais encurtadores de url, para diferenciar do bit.ly (que é muito bom, simples e rápido) ou do migre.me (que é sujo e demora para você sequer saber onde colocar a bendita url a ser encurtada).

Vasculhando na web encontro o Ovy.in, simples leve, rápido e limpo, vai direto ao foco, como por exemplo no input para por a url a ser encurtada está escrito ‘Hey, put your url here!’ para achar o foco mais rápido, diferentemente de vários outros que não focam no que é o serviço.

Os contras desse site que vos apresento é que ainda não possui ferramentas de monitoramento dos links encurtados e não tem uma extensão para o navegador até porque está no logo um indicador ‘Alpha’ ainda, então temos que esperar para ver o que surgirá. Mas como não preciso no momento dessas ferramentas continuarei a usar esse serviço e aguardo por novidades.

Espero que gostem da minha dica e até mais.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Jogo no Facebook realmente mata garoto de 20 anos?

Entro no meu Google reader e me deparo com a seguinte notícia: “Jogo no Facebook mata garoto de 20 anos”, bem analizemos o contexto de como é esse bendito jogo chamado “planking” (do inglês plank, de prancha) em que: “O jogo de planking consiste em ser fotografado deitado sobre superfícies estranhas, como se o corpo humano fosse uma prancha. Usuários do Facebook em comunidades como ‘Planking Austrália’ ou ‘Planking Norway’ competem para ver quem consegue mais pontos de ‘curtir’ em suas páginas pessoais.”, depois disso (WTF?!?!?!).

Buscando conhecimento decidi procurar alguma foto (de débil mental) que tenha feito tal coisa e me deparo com essa foto onde um indivíduo se equilibra em duas placas de RUA.

Mas voltando à notícia, o garoto (inteligentíssimo chamado Acton Beale de 20 aninhos de idade) tentava se equilibrar no parapeito de apenas 5 centímetros de espessura no 7º andar, qual foi o fim do rapaz?? Mas é claro, foi achado morto no piso do prédio em frente a portaria. Tudo isso para ter alguns “likes” em sua foto. Acho que ousadia demais faz mal.

Agora pergunta, foi o jogo no Facebook ou a própria pessoa que se matou?

Segue o link da fonte. Devido à fatalidade prefiro não compartilhar links de comunidades sobre o assunto.

2 Comentários

Arquivado em Sem-categoria

Disconnect to connect

O título pode ser um tanto peculiar, digo, “disconectar para conetar?!?”. Veja o vídeo abaixo:

Mas é algo em que também indico, cada dia que se passa a gente vê mais e mais pessoas com seus celulares com 3G  se conectando cada vez mais com o virtual e deixando o orgânico de lado, as vezes se conectando com outras pessoas através de redes sociais ou mensageiros instantâneo. Em que não sabemos e nada de seu histórico alêm de conversas gravadas, do contrário de familiar, por exemplo.

Onde nós sabemos o que pode ou não ser feito ao querer se comunicar com outro ser? Devemos nos fechar à uma tecnologia dentro de outra sabendo que outras pessoas ao seu lado pode muito bem fazer a mesma coisa que você procura e até mais?

Tente se (re-)aproximar das pessoas mais próximas, se desconecte para sentir mais fisicamente o que procura no virtual, afinal, somos orgânicos e não zeros e uns.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

O poder do LiveStream

Hoje será transmitido uma apresentação do U2 pelo YouTube às 1h30 da manhã (horário de brasília) diretamente do estádio Rose Bowl, da Califórnia. Mas o que vale ressaltar desse evento é que o YouTube em 2008 fez algo semelhante, onde pode ser visto aqui e aqui.

O YouTube Live obteve cerca de 700.000 espectadores online simultâneamente, onde a empresa Akamai ofereceu suporte tecnológico para que o YouTube Live, primeiro Live Stream da empresa, ir ao ar.

Mas é de grande valia analisar fatos, onde com 700.00 espectadores online, o YouTube chegou próximo de uma empresa tradicional de Tv como Fox, ABC, NBC dentre outras, em que a emissora (site) escolhe o conteúdo que irá ao ar e não o usuário como é normalmente feito com o serviço de vídeos do site. Mas mesmo que seja próximo à uma empresa tradicional, possui um diferencial tremendo. O modo de como veicular anúncios.  Onde pode ser diferenciado um ou mais anúncios por localidade, gosto do usuário e o que está assistindo.

Apesar de um gasto enorme que é um Live Stream, tanto pela banda como em armazenamento de dados, é um investimento alto onde o retorno pode ser mais alto anda (pode), porém nem sempre o conteúdo veiculado será viável à um relevante anúncio para o usuário no momento em que assiste.

Um famoso serviço de Live Stream é o UStream, em que o próprio usuário com uma webcam ou a câmera do celular pode enviar qualquer tipo de conteúdo (qualquer mesmo) desde você paradão trabalhando fazendo dezenas de usuários vendo sua feiura fazendo nada até usuários ensinando algum assunto realmente relevante. Porém dentre os vários vídeos que já vi, nenhum parecia relevante ao ponto de criar anúncios relevante, a não ser o próprio AdSense.

Se um dia veremos alguma empresa lucrando bilhões com anúncios com Live Stream, não sei mas é bom aguardar e ver o que acontecerá.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria

Nova Guerra dos Browsers

Quando vimos a Guerra dos Browsers entre Internet Explorer e Netscape quem ganhava era o usuário com as melhorias de ambos os browsers, porém a vencedora da guerra até hoje não nos permite ver realmente a evolução do desenvolvimento web. O IE como sabemos, é dominante no mercado de navegadores web e como sempre campeão em reclamações por falta de padrões web, onde uma básica comparação é feita aqui.

Com a chegada do novo navegador do Google Chrome e atualmente sem uma guerra dos navegadores web vemos cada vez mais melhorias entre os navegadores, como por exemplo a melhoria de performance do JavaScript.

Porém com a chegada do Google Wave, onde ele é baseado boa parte em HTML 5 e JavaScript ao lado do cliente. Como vemos na comparação de compatibilidade dos navegadores, somente o IE 8 possui suporte (ruim) do HTML 5 e com isso quase 50% dos usuários no mundo não conseguiriam utilizar o Google Wave. E com isso Google criou um plug-in para o IE o Google Chrome Frame onde é possível ‘colocar’ o Google Chrome dentro do IE para melhor aproveitamento das tecnologias como HTML 5 e melhoria no desempenho do JavaScript (que sabemos que no IE isso é uma droga).

Google argumenta que “Com o Google Chrome Frame, os desenvolvedores podem tirar vantagem das mais recentes tecnologias abertas da web, mesmo no Internet Explorer. Desde um motor Javascript mais rápido, suporte para as tecnologias da web atual como a capacidade de HTML5 offline e e manipulação de CSS/layout modernos” explicaram Amit Joshi, Engenheiro de Software, Alex Russell, Engenheiro de Software e Mike Smith, Gerente de Produto no Google. Mas sabemos exatamente que é para fazer com que a merda do IE aceite o Google Wave.

Mas com base nessas informações penso, até que ponto é válido ir para conseguir mais usuário para a utilização de sua tecnologia? Como sabemos Google possui monopólio em sistema de buscas e mesmo assim não passa dos 2% de usuários com o Google Chrome. A Google utilizará óbvio de outros métodos para conseguir usuário, mas colocar seu próprio browser dentro de outro é válido?

A Mozilla se pronunciou sobre o Google Chrome Frame, e como também previsto Google está desenvolvendo um Frame também para o Firefox.

Esse é um movimento violento da Google para ganhar mercado com Google Chrome? Ou somente para não ter de gastar tanto m desenvolvimento para o Wave? Acredito que mais uma gurra dos navegadores está por vir mas não tão abertamente como era com IE x Netscape e sim uma Guerra Fria onde em questão de poder de desenvolvimento o Google possui maior inteligência e maior poder aquisitivo, com certeza a M$ possui. Somente com o tempo veremos como será a evolução dos browser mas independente de quem ganhar ou perder essa Guerra Fria, o usuário com certeza é o maior beneficiado.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem-categoria